X

Últimas Notícias

Conjuntivite uma doença comum em usuários de piscinas

Diversos textos publicados no nosso blog alertam para alguns riscos que existem em piscinas que não recebem um tratamento eficiente contra os agentes presentes na água que podem ser prejudiciais aos banhistas. Hoje, falaremos sobre mais um perigo: a CONJUNTIVITE.

Comum em usuários de piscinas, essa doença é extremamente incômoda e pode ser altamente contagiosa. Por isso, mostraremos abaixo as características e os tipos de conjuntivite e apresentaremos o melhor método para deixar a água protegida contra essa doença. Leia com atenção e veja como manter a sua piscina livre desse risco!

Características da conjuntivite
A conjuntivite é uma inflação ocular que deixa os olhos avermelhados e, na maioria das vezes, doloridos. Coceira, inchaço nas pálpebras, lacrimejamento e secreções também são características dessa doença, sendo que, em alguns casos, apenas algumas delas são observadas.

Além de ser muito incômoda, outro problema relacionado à conjuntivite é o alto risco de contágio. Este acontece através do contato com as secreções oriundas do olho do indivíduo infectado. Ou seja, um simples aperto de mão pode ser o bastante para que haja a transmissão, já que levamos as mãos aos olhos frequentemente.

A “boa” notícia é que essa doença pode ser curada em poucos dias, seja de forma natural ou com a realização de um tratamento simples.

Tipos dessa doença
A conjuntivite tem como origem uma alergia ou uma infecção, que pode ser viral ou bacteriana. Em relação às piscinas, os problemas alérgicos são provenientes do contato com agentes químicos, como o cloro em concentração excessiva, as cloraminas (substâncias geradas pela reação do cloro com diversos materiais orgânicos) ou o pH fora do nível adequado (entre 7,2 e 7,6). O tratamento para a conjuntivite alérgica é realizado com a aplicação de anti-histamínicos.

 

No caso da conjuntivite viral (causada principalmente pelo grupo Adenovírus), pode existir inclusive uma associação com um vírus da gripe. Este é o tipo mais contagioso que existe e o tratamento pode ser feito com colírios e pomadas lubrificantes.

Por sua vez, a conjuntivite bacteriana, como diz o nome, é causada por bactérias, principalmente as piogênicas (staphylococcus, streptococcus…). O tratamento é à base de colírios antibióticos.

É importante destacar que, independentemente do tipo de conjuntivite, não é indicado usar colírios ou pomadas sem orientação médica, já que isso pode levar a um agravamento da doença.

Como deixar a piscina livre dos causadores da conjuntivite

Como foi destacado acima, a conjuntivite pode ser causada por bactérias e vírus, mas também pelo contato com agentes químicos como as cloraminas. Ou seja, para livrar a piscina dessa doença, é necessário utilizar um tratamento que combata as bactérias e os vírus e, paralelamente, elimine os efeitos dos agentes químicos.

E só existe um método no mercado que é capaz de desempenhar essas duas funções com eficiência: o Ozônio para piscina.

Com uma poderosa ação oxidante e tendo a qualidade de ser um ótimo germicida, o Ozônio combate os vírus e as bactérias que podem dar origem à conjuntivite. Além disso, ele elimina todas as cloraminas.

Ou seja, ao utilizar o Ozônio em sua piscina, você terá a certeza de que ela estará totalmente protegida de problemas como a conjuntivite e tantos outros que ocorrem apenas pela falta do uso de um método de tratamento da água realmente eficaz.

A Q1 Ambiental é uma fabricante de Ozônio para piscina especializada nesse método. Acesse o nosso site e curta a nossa página no Facebook para acompanhar todas as nossas novidades!

Tags:

About the Author

The Author has not yet added any info about himself